Em 2017 a Catalunha irá realizar referendo sobre a independência com ou sem o consentimento da Espanha

A Catalunha irá realizar referendo sobre sua independência da Espanha com ou sem o consentimento do governo central de Madrid, afirmou nesta quarta-feira o líder da região, Carles Puigdemont.

Puigdemont disse no Parlamento Catalão que estava disposto a discutir os termos de um referendo com Madrid, que  constantemente se opõe a qualquer votação semelhante na região Nordeste do país, mas que, mesmo assim o referendo será realizado em setembro de 2017.

catalan-independence-referendum-mapEm agosto o Tribunal Constitucional da Espanha anulou uma resolução do estado da Catalunha que avançava com a independência, acirrando o impasse entre os separatistas e o governo central do partido conservador Popular (PP).

“Há uma enorme consenso de que a fórmula ideal é um referendo acordado com o Estado espanhol,” disse Puigdemont ao Parlamento. Disse ele que iria discutir a formulação da questão em uma votação e sua data.

“Mas se até julho não houver nenhuma resposta positiva (do governo central), estaremos preparados para dar o último passo e convocar um referendo para a segunda quinzena do mês de setembro do próximo ano”, disse ele.

O apoio à independência catalã tem crescido nos últimos meses, onde quase 48% dos catalães a apoiaram em uma votação informal realizada em julho. Puigdemont, que foi empossado como líder em janeiro, disse que o parlamento catalão iria aprovar todas as leis necessárias para um estado independente até o final de julho do próximo ano, quando será proposto um roteiro de 18 meses para a transição da independência da Espanha.

Na quinta-feira Puigdemont enfrenta uma nova votação em seu governo,  votação estaque ele ele mesmo convocou para testar se tem o apoio de um partido anti-capitalista que tinha rejeitado um projeto de lei orçamentária anual em junho. A expectativa é que a votação seja positiva.

cataloniaO primeiro-ministro espanhol Mariano Rajoy recusou-se a considerar as medidas que poderiam ajudar a Catalunha, que responde por quase um quinto da produção econômica espanhola, de realizar um referendo juridicamente vinculativo. Seu governo informou em julho que iria procurar acusações criminais contra o presidente do parlamento catalão por permitir que seus legisladores a votar pela independência.

O anti-regionalismo consistente de Rajoy alienou outros partidos conservadores da Catalunha e de outras regiões, como o País Basco que, no passado, ajudou a formar governos nacionais em troca de condições mais favoráveis sobre questões regionais.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on email
Email
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Comentários

6 Comments

Comments are closed.

Notícias

COMPARTILHAR

Share on facebook
Facebook
Share on email
Email
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

pagar anuidade

PIX
Banco 085 / Agência 0101-5 / Conta 8537348
R$ 70,00 anual
Envie comprovante com nome do membro para
contato@osuleomeupais.org

doação

Somos um movimento sem fins lucrativos. Ajude-nos a divulgar cada vez mais nossos ideais. Você pode doar qualquer valor.